Jotinhas

Ada Pellegrini Grinover 1933 – 2017

Jurista faleceu nesta quinta-feira (13)
Redação JOTA
Jurista Ada Pellegrini Grinover faleceu aos 84 anos Crédito: YouTube
Aa Aa

A comunidade jurídica brasileira está de luto pelo falecimento de Ada Pellegrini Grinover, uma das maiores juristas e processualistas do país. Ela faleceu nesta quinta-feira (13), aos 84 anos.

Ada nasceu em Nápoles, na Itália, em 16 de abril de 1933. Seu pai, o advogado Domenico Pellegrini Giampietro, foi Ministro da Fazenda da República Social Italiana, entre 1943 e 1945, de Benito Mussolini, e professor universitário na área de direito público. Em 1951, Ada imigrou com a família para o Brasil, onde se estabeleceu em São Paulo. Estudou no Colégio Dante Alighieri e, com 20 anos, ingressou na Faculdade de Direito do Largo de São Francisco (USP).

Procuradora-Geral do Estado entre 1970 e 1992, tornou-se em 1980 professora titular da USP. Fez parte da comissão de juristas que elaborou o Código de Defesa do Consumidor. Também colaborou com a Lei de Pequenas Causas, e foi presidente da Comissão de Reforma do Código de Processo Penal, em 2000. Participou da elaboração do Código Civil de 2002 e foi coautora da Lei de Interceptações Telefônicas, da Lei de Ação Civil Pública e da Lei do Mandado de Segurança.

Ela também atuou na Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) como conselheira federal e em São Paulo, além de diretora da Escola Superior da Advocacia (ESA) durante a gestão de Rubens Approbato. É autora de diversas obras jurídicas e ficcionais, e membro da Academia Paulista de Letras.

Recentemente, Ada foi contratada pela defesa do presidente Michel Temer para elaborar um parecer sobre a gravação feita por Joesley Batista.

Algumas homenagens

IASP 

É imensa a tristeza pela perda da Professora Ada Pellegrini Grinnover. Ensinou e deixou um legado, tanto por sua obra, quanto pelo seu exemplo de mulher. Inteligente, combativa, sempre amou o debate e a divergência que aclaram as questões jurídicas e permitem o aprofundamento do estudo, missão fundamental da verdadeira jurista.
A homenagem eterna do Instituto dos Advogados de São Paulo que teve o privilégio de tê-la com a mais antiga associada da nossa época.
José Horácio Halfeld Rezende Ribeiro
Presidente do Instituto dos Advogados de São Paulo – IASP
Gustavo Badaró, professor da USP
Instituto Brasileiro de Direito Processual

Academia Paulista de Direito

Uma das maiores juristas brasileiras, respeitada como poucos na comunidade jurídica internacional. Encabeçou o movimento das Novas Tendências do Direito Processual e, recentemente, havia publicado mais um importante texto, resultado de suas pesquisas sérias, Ensaios sobre a Processualidade.

Era uma professora extremamente respeitada, rigorosa e sempre aberta à contribuição de seus alunos, atenta à originalidade das ideias, ávida de diálogo.  Em suas aulas, sempre trouxe ao conhecimento e à leitura crítica de seus alunos o melhor da doutrina internacional, no que se incluía a doutrina brasileira e latino-americana.  Compunha a Academia Paulista de Direito, sendo Titular da Cadeira 37.

Nosso último encontro se deu na bela homenagem que a Associação dos Procuradores do Estado de São Paulo prestou a outro importante processualista brasileiro, Donaldo Armelin, com a reedição de seu livro Embargos de Terceiro. Conversei brevemente com a Professora Ada, enquanto obtinha sua carinhosa mensagem em seu livro sobre a procesualidade. Recebi seu abraço afetuoso. Ainda propus que se lhe fizesse uma homenagem, na Procuradoria, pois Ada foi uma das mais bem preparadas Procuradoras do Estado de São Paulo, além de advogada e Professora Titular da Universidade de São Paulo.

Fica aqui minha homenagem e a da Academia Paulista de Direito à Professora e Jurista responsável pela formação em grau de excelência de várias gerações de juristas brasileiros
A Academia Paulista de Direito permanece em luto formal por sete dias.

Alfredo Attié,
Presidente da Academia Paulista de Direito
Titular da Cadeira San Tiago Dantas

Redação JOTA - São Paulo

Aa Aa
COMENTÁRIOS

Comentários