Política

“Decisão do STF é para se cumprir”, diz Renan, sorrindo

Foi essa a resposta do presidente do Senado quando questionado se estava aliviado com a decisão
Brasília - O presidente do Senado, Renan Calheiros, e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, participam da Cerimônia de instalação do painel "Alumbramento", da artista plástica Marianne Peretti, no Salão Branco do Congresso Nacional (Marcelo Camargo/Agência Brasil)
Marcelo Camargo/ Agência Brasil
Aa Aa

Depois de convencer os membros da Mesa Diretora do Senado a endossarem decisão que ignorou a liminar concedida pelo ministro Marco Aurélio Mello que determinava seu afastamento da presidência do Senado e permanecer no cargo com apoio de seis dos onze ministros do Supremo Tribunal Federal, um sorridente Renan Calheiros (PMDB-AL) chegou ao Congresso Nacional com o discurso afiado de defesa de obediência ao Poder Judiciário.

“A decisão fala por si só, não dá para comentar decisão judicial. Decisão da Justiça, decisão do STF é para se cumprir”, disse ao ser questionado pelos jornalistas credenciados no Senado se estava aliviado com a decisão do plenário da Corte Suprema.

Na terça-feira, depois do Senado enviar a decisão da Mesa que dizia que medidas só seriam tomadas depois de um posicionamento do plenário, Renan criticou a liminar e endureceu o tom das declarações ao acusar Marco Aurélio de conceder a decisão monocrática a nove dias do fim de seus mandato –  o mandato só termina de fato em 1º de fevereiro – por “tremer na alma” de medo da aprovação de medidas que acabem com os supersalários.

Raquel Alves - Brasília

Aa Aa
COMENTÁRIOS

Comentários