Trabalho

Acordo afasta, por um ano, greves no setor aéreo

O acordo foi confirmado pelos representantes das categorias ao vice-presidente do TST
Luiz Orlando Carneiro
Paulo Pinto/ Fotos Públicas
Aa Aa

Depois de seis rodadas de negociação, trabalhadores e empresas aéreas chegaram a um acordo que garante a continuidade dos serviços à população, sem a realização de qualquer greve no setor por um ano, em troca de reajustes baseados na reposição da inflação, antes mesmo do vencimento da data-base da convenção coletiva de trabalho 2016/2017.

O acordo foi confirmado pelos representantes das categorias ao vice-presidente do Tribunal Superior do Trabalho, ministro Emmanoel Pereira, nesta quarta-feira (7/12), em reunião com os representantes da Federação Nacional dos Trabalhadores em Aviação Civil (FENTAC), do Sindicato Nacional dos Aeronautas (SNA) e do Sindicato Nacional das Empresas Aeroviárias (SNEA).

“Trata-se de um acordo inédito e considerado histórico já que poderemos garantir que não teremos greve nos aeroportos brasileiros. Parabenizo os atores desta conciliação, que, com a supervisão e participação da Justiça do Trabalho, utilizaram o bom senso e conseguiram chegar a um denominador comum” – afirmou o ministro na ocasião.

O indicativo de greve da categoria chegou a ser anunciado no mês de novembro, mas, de acordo com o presidente do SNA, Rodrigo Spader, a atuação do TST foi fundamental para que as negociações avançassem, com a garantia do acordo.

Para o presidente SNEA, Ronaldo Trad, apesar das companhias aéreas enfrentarem os impactos do cenário econômico brasileiro, as negociações avançaram pelo alinhamento das expectativas das partes.

Luiz Orlando Carneiro - Brasília

Aa Aa
COMENTÁRIOS

Comentários