Justiça

Lula, Fernando Henrique e Sarney falarão na Lava Jato

Depoimentos serão fevereiro. O petista será ouvido como réu. FHC e Sarney serão testemunhas
Redação JOTA
Fotos públicas Antonio Cruz
Aa Aa

Quando o Judiciário retomar as atividades em fevereiro, três ex-presidentes prestarão depoimentos em ações penais ligadas à Operação Lava Jato. Estão previstas as falas de Luiz Inácio Lula da Silva (PT), Fernando Henrique Cardoso (PSDB) e José Sarney (PMDB).

O primeiro depoimento de Lula como réu está marcado para o dia 17 de fevereiro, na Justiça Federal do DF, quando serão interrogados o banqueiro André Esteves, o ex-senador Delcídio do Amaral, e mais quatro pessoas na ação penal que investiga uma trama para evitar a delação premiada do ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró.

Na ação penal nº 42543-76.2016.4.01.3400, Lula, o pecuarista José Carlos Bumlai e Maurício Bumlai são acusados de embaraço à investigação (pena de 3 a 8 anos). Delcídio, Diogo Ferreira Rodriguez e Edson Siqueira Ribeiro Filho são acusados, além de obstrução, por exploração de prestigio (pena de 1 a 5 anos) e patrocínio infiel (6 meses a 3 anos). Esteves foi acusado de embaraço e exploração de prestígio.

O caso veio à tona no final de 2015 quando Delcídio, então líder do governo Dilma no Senado, acabou preso após ser gravado uma conversa na qual ofereceu auxílio financeiro para evitar a colaboração premiada de Cerveró. A ideia seria evitar que fossem delatados pelo ex-diretor. Segundo a Procuradoria, eles teriam atuado para comprar por R$ 250 mil o silêncio de Cerveró.

Inicialmente, o caso estava no STF, mas a cassação de Delcídio e sua perda do foro privilegiado, fez com que o inquérito fosse enviado para a Justiça do DF.

Ao STF, a PGR afirmou que Lula “impediu e ou embaraçou investigação criminal que envolve organização criminosa, ocupando papel central, determinando e dirigindo a atividade criminosa praticada por Delcídio do Amaral, André Santos Esteves, Edson de Siqueira Ribeiro, Diogo Ferreira Rodrigues, José Carlos Bumlai, e Maurício de Barros Bumlai”. O ex-presidente nega envolvimento com o caso.

TESTEMUNHAS

Fernando Henrique e Sarney serão ouvidos na condição de testemunhas do presidente do Instituto Lula, Paulo Okamotto, na ação penal que o ex-presidente Lula também é réu na Justiça do Paraná.
O caso trata do suposto favorecimento de Lula pela empreiteira OAS e envolve a compra de um tríplex no Guarujá. A ação penal é conduzida pelo juiz Sérgio Moro.

Os depoimentos de Fernando Henrique e Sarney devem ocorrer por meio de videoconferências. O tucano deve falar no dia 9 de fevereiro e o peemedebista no dia 14.

Redação JOTA - De Brasília

Aa Aa
COMENTÁRIOS

Comentários